31 de março de 2017

Femipa 31 anos



Do Hospital Dona Darcy Vargas, quem esteve no evento foi o Diretor Márcio José Gobor que conversou com o ministro da Saúde Ricardo Barros e com deputados presentes pedindo incentivo para Rebouças e para o Hospital
Márcio e Ministro Ricardo Barros

Márcio e Dep, Luciano Ducci

Dep. Iared

Dep Leandre

Para comemorar 31 anos de muitas lutas e desafios, a Femipa promoveu na manhã desta segunda-feira (27) um café da manhã com dirigentes dos hospitais afiliados. Na ocasião, a Federação homenageou o ministro da Saúde, Ricardo Barros, pelo trabalho à frente do Ministério em prol dos hospitais filantrópicos e santas casas do Brasil. Além de Barros, diversas autoridades também estiveram presentes no evento, entre eles o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto; o secretário municipal de Saúde de Curitiba, João Carlos Baracho; o presidente da Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB), Edson Rogatti; além de deputados estaduais e federais, vereadores e diretores de entidades parceiras da Femipa. O evento aconteceu no salão Royalle do Hotel Lizon, em Curitiba (PR).
Na abertura do café da manhã, o presidente da instituição, Flaviano Feu Ventorim, falou sobre a importância dos hospitais filantrópicos e santas casas para a Saúde da população e destacou que essas entidades são responsáveis por 50% dos atendimentos ao Sistema Único de Saúde (SUS) e mais de 70% dos procedimentos de alta complexidade.
Além disso, ele citou alguns dados levantados pela Femipa junto aos 60 hospitais afiliados: essas instituições fazem parte de quase todos os programas do ministério da Saúde; 22 hospitais estão dentro do HospSUS, 19 na Rede Mãe Paranaense e cinco em outros programas, como o de Cuidados Continuados Integrados. Em 2016, essas entidades realizaram 173 mil internações pelo SUS, 250 mil consultas no pronto socorro e atendimento geral, 76 mil consultas de pronto socorro pediátrico, 59 mil de atendimento obstétrico, 106 mil cirurgias, mais de 585 mil exames de exame de radiologia, 563 mil exames diversos, mais de quatro milhões de exames laboratoriais e 594 mil pacientes atendidos por dia.  As santas casas e hospitais filantrópicos afiliados à Femipa estão presentes em 43 municípios, geram mais de 18.500 empregos diretos, têm aproximadamente 6.500 médicos cadastrados nos hospitais e são formadores de graduação médica, residência médica e profissionais em geral na área de Saúde, de Enfermagem, Nutrição, Fonoaudiologia e demais áreas.
“Temos um trabalho muito grande, mas graças ao apoio que temos recebido da comunidade e às emendas parlamentares, temos conseguido manter os atendimentos. Hoje, nesses 31 anos, eu queria parabenizar todos aqueles que são os provedores das santas casas e hospitais filantrópicos e que fazem a Saúde ser mais eficiente. Também agradeço a luta diária. Fala-se muito em movimento social, mas o movimento social quem faz são essas instituições, que dão emprego, salvam vidas e dão a cara para bater sempre em prol de uma comunidade. Há 31 anos estamos unidos em busca de uma Saúde mais justa, digna e de qualidade. Por isso, só tenho a parabenizar as instituições filantrópicas, que fazem a diferença para a população paranaense”, declarou Ventorim.
Edson Rogatti, presidente da CMB, também aproveitou a comemoração para agradecer o ministro Ricardo Barros pela gestão eficiente até o momento. Segundo Rogatti, desde que assumiu a pasta, Barros tem feito muito para as instituições de Saúde filantrópicas mesmo com poucos recursos. Na avaliação do presidente da CMB, o ministro deu a essas entidades liberdade para participar das discussões e buscar melhorias para a Saúde.
“Sabemos que os recursos são curtos, mas o ministro sabe da realidade difícil que as santas casas têm enfrentado, devido à situação econômica, financeira e social do país, e tem procurado ajudar. O orçamento deste ano é apertado, mas precisamos de um financiamento maior para as santas casas, porque vivemos num subfinanciamento há muito tempo. Vamos continuar lutando por melhores condições. Ressalto, ainda, que é muito importante que os hospitais sejam afiliados às Federações estaduais, porque são essas entidades que trabalham junto aos governantes e aos órgãos representativos. A Femipa é uma entidade forte e realiza um brilhante trabalho, sempre andando em parceria com o Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado da Saúde e as secretarias municipais”, destacou Rogatti.
Ainda durante o evento, o secretário Michele Caputo Neto reforçou aos presentes que as conquistas só são possíveis porque os trabalhos são realizados entre parceiros. Ele afirmou que o setor de Saúde filantrópico do Paraná sempre esteve aberto para fazer o melhor pela Saúde do Estado e para firmar novas parcerias que tragam bons frutos. Caputo Neto falou também sobre o projeto de Lei 88/2017, que será votado em breve na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (Alep) e é de extrema importância para as instituições.
“Essa Lei vai dar condições de ordem legal ao governo para que possamos continuar fazendo programas, como o HospSUS, o Mãe Paranaense e a política da Rede de Urgência e Emergência. A filantropia é extraordinária não só para o Paraná, mas também para o Brasil. Somente os Estados do Paraná e São Paulo vêm organizando políticas públicas de incentivo e reconhecimento, e sem esta Lei não poderemos fazer mais incentivos. Precisamos brigar por resultados”, garantiu.
O secretário também parabenizou o ministro da Saúde pelo trabalho realizado até o momento e destacou que Barros saldou, em pouco tempo, todas as emendas parlamentares e quitou as dívidas atrasadas graças à economia que fez pela gestão.
“Temos que reconhecer publicamente. Temos investimentos em outras áreas, e é sempre bom andar com parceiros. Dêem-nos condição de trabalho para que possamos continuar fazendo o que precisa ser feito”, afirmou.
Homenagem
Mesmo num cenário tão desafiador, as instituições de Saúde filantrópicas puderam, nos últimos seis meses, respirar com um pouco mais de tranquilidade, isto porque a pasta do Ministério da Saúde ficou a cargo do paranaense Ricardo Barros, que até então estava no quinto mandato de deputado federal. Em 2016, com a recomposição de R$ 6,3 bilhões do Ministério da Saúde que estavam contingenciados ainda pelo governo anterior, o Ministério conseguiu repassar integralmente aos Estados e municípios os recursos do bloco de média e alta complexidade, destinados ao atendimento nos hospitais. Em outubro, o ministro assinou portarias destinando R$ 54,5 milhões por ano para Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), santas casas e entidades filantrópicas do Paraná. Além disso, o órgão tem procurado manter os repasses em dia e Barros manteve as portas abertas para discutir com os filantrópicos os avanços que o setor precisa.
Como forma de reconhecer esses esforços, a Femipa decidiu homenagear Ricardo Barros durante o Café da Manhã. “Esse evento já é uma tradição da Femipa e a cada edição procuramos homenagear um nome que fez e faz a diferença para o setor de Saúde filantrópico. Neste ano, escolhemos o ministro da Saúde pelo trabalho que ele realizou à frente da pasta mesmo num momento de crise. Ainda há muito o que fazer, mas estamos satisfeitos com a nova relação que conseguimos, porque agora nossas demandas estão sendo ouvidas”, disse o presidente da Femipa.
Ricardo Barros agradeceu a homenagem e destacou que o sucesso é fruto de um trabalho de equipe, já que o Ministério tem colaboradores comprometidos e que conhecem a realidade da Saúde do Brasil. Barros afirmou que está comprometido em fazer uma boa gestão e apresentou uma prestação de contas de todo o trabalho realizado até o momento no Ministério.
“Queremos proporcionar a melhor infraestrutura, os melhores equipamentos e os melhores insumos para que as instituições possam prestar um atendimento de qualidade à população. Agradeço a oportunidade de estar aqui e parabenizo a Femipa pelo evento. A presença de deputados estaduais e federais demonstra a força política que vocês representam. Saúde é coisa séria e o nosso modelo é enxugar tudo o que podemos. Temos que fazer gestão dos recursos. Precisamos fazer as coisas devagar, mas para sempre”, completou.
Autoridades
O café da manhã da Femipa reuniu diversas autoridades. Além das já citadas, também estiveram presentes os deputados federais Christiane Yared, Leandre, Luciano Ducci e Evandro Roman e os deputados estaduais Dr. Batista, Claudio Palozi, Claudia Pereira, Cristina Silvestri, Hussein Bakri, Marcio Nunes e Tiago Amaral.
Balanço Femipa
A Femipa promoveu também na segunda-feira, 27, a assembleia geral ordinária para prestação de contas do exercício 2016, que foi aprovada por unanimidade pelos hospitais afiliados.
Após a AGO, o presidente da Femipa, Flaviano Feu Ventorim, informou que a Federação irá participar de audiência na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), também nesta segunda, a partir das 14h30, que vai votar o projeto de Lei 88/2017, que permite repasse de recursos para instituições filantrópicas.

(Texto): http://www.femipa.org.br/noticias/femipa-comemora-31-anos-com-homenagem-ao-ministro-da-saude/

0 comentários:

Postar um comentário