[Fechar]

..... TESTE TESTE TESTE .....

17 de setembro de 2018

Hospital Darcy Vargas cria comissão de Auditoria Interna



A gestão na área de saúde é uma atividade complexa e que requer acompanhamento. É para isso que existe a auditoria hospitalar. Afinal de contas, ela ajuda a reduzir custos e aumentar a eficiência do processo.

A ideia é promover o desenvolvimento sustentável do hospital e manter ou elevar a qualidade do atendimento aos pacientes. Isso porque permite implantar as melhores práticas para reforçar o cuidado e a segurança com quem está sendo atendido.

Em resumo, a auditoria em hospitais serve como ferramenta de gestão que possibilita às instituições de saúde sobreviverem diante do mercado competitivo privilegiando a qualidade e o equilíbrio financeiro.

Isso é realizado sem deixar de lado a ética e a transparência nas relações entre os profissionais, o que garante que todos se envolvam nessa prática e que ela seja mais eficiente.


QUAL A IMPORTÂNCIA DESSA PRÁTICA?


Os hospitais começaram a empregar esforços na auditoria para obter a redução de custos e aproveitar melhor os recursos disponíveis — e estão conseguindo bons resultados.

Além do benefício já citado, também se alcança mais qualidade no atendimento aos pacientes. Os processos são melhorados e, ainda, há a identificação de erros operacionais, de gestão de pessoas e estruturais.

O resultado é a correção das falhas e a identificação de processos críticos, que também podem ser ajustados por meio de estratégias de curto e longo prazos. Para a equipe, uma das vantagens é a maior aceitação das intervenções e a compreensão da importância da auditoria.

Ou seja, essa prática tem um caráter educativo e que incentiva os colaboradores a participarem ativamente. No final, todos conseguem adotar as melhores práticas por entenderem que o trabalho se torna melhor e mais fluido.


É por isso que a auditoria voltada para hospitais traz as seguintes vantagens:
  • mais qualidade;
  • maior assistência à saúde;
  • relação mais segura, justa e eficaz para todos os envolvidos;

QUAIS SÃO AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DE ALGUMAS MODALIDADES?

O auditor pode ser alguém interno ou externo à instituição. Mesmo que essa pessoa tenha um vínculo empregatício, ela deve obedecer aos padrões e técnicas estipulados.
Entre as características exigidas desse profissional estão:
  • sigilo;
  • discrição;
  • atualização;
  • conhecimento;
  • capacitação e atualização constantes;
  • imparcialidade;
  • independência;
  • soberania;
  • cautela;
  • comportamento ético;
  • objetividade;
  • zelo profissional.

AUDITORIA OPERACIONAL

Os fatos e documentos são observados de maneira direta e depois dos procedimentos serem executados. Cabe ao auditor:
  • interagir com os colaboradores que atuam na assistência;
  • monitorar o histórico dos pacientes internados;
  • colaborar na liberação de medicamentos, materiais ou procedimentos;
  • verificar a qualidade da assistência.
A partir dessa avaliação, o auditor pode indicar uma assistência alternativa para o paciente, desde que o médico assistente dê sua anuência.

COMO A AUDITORIA HOSPITALAR É APLICADA?

A qualidade dos serviços é verificada de diversas formas. Uma delas é a análise detalhada dos prontuários, que tem por objetivo identificar:
  • como é a rotina da equipe interdisciplinar;
  • de que forma as rotinas e os protocolos são cumpridos;
  • qual é a eficiência na interface entre diferentes setores.
Essa verificação embasa os planos de ação, que buscam melhorar a eficiência da gestão hospitalar. Simultaneamente são identificados os pontos críticos de cada setor, que podem ser melhorados por meio de ações estratégicas específicas.
Por exemplo: se uma das falhas encontradas foi o uso dos recursos, é possível estabelecer mecanismos de controle que assegurem a redução dos desperdícios.
A comissão foi composta em reunião com registro em ata no dia 17 de setembro de 2018 da seguinte forma:
Lariza Mazepa – Médica – Diretora Clínica
Ronaldo Tyski – Médico – Diretor Técnico
Rosilda Cardoso – Faturamento e recepção
Vanessa Bortoletto – Farmácia/Farmacêutica
Sidnei Ferreira – Enfermeiro Coordenador CCI
Juliano C. Semkiw – Enfermeiro coordenador Pronto Socorro
Márcio J Gobor – Diretor Geral






0 comentários:

Postar um comentário