[Fechar]

..... TESTE TESTE TESTE .....

28 de junho de 2016

Governo Estadual evita fechamento de hospitais de pequeno porte no Paraná

Governo Estadual evita fechamento de hospitais de pequeno porte no Paraná

SAO Governo do Paraná está ampliando o credenciamento de hospitais de pequeno porte ao programa estadual HospSUS, que apoia instituições públicas e filantrópicos com recursos para qualificar o atendimento hospitalar aos cidadãos paranaenses, com verbas para custeio, compra de equipamentos e pequenas obras. A nova etapa do programa está definida na Resolução 180/2016, que estende o incentivo estadual a instituições filantrópicas de até 100 leitos vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS).

“O Governo do Paraná reconhece a importância dos hospitais de pequeno porte para a manutenção do atendimento à população e sabemos das dificuldades para o custeio desses serviços. Por isso, definimos mais um incentivo para garantir o funcionamento dessas instituições”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto.

Os valores podem ser aplicados no custeio dos serviços, melhorias da estrutura física e equipamentos, além de capacitações dos profissionais. A intenção é garantir a subsistência de estabelecimentos de menor porte e que sofrem com a crise de financiamento do SUS.

NA PRÁTICA – O Hospital dos Trabalhadores Rurais de Verê, na região Sudoeste do Estado, foi um dos primeiros estabelecimentos filantrópicos a aderir à nova fase do HospSUS. Com a adesão, a instituição passa a receber o valor anual de R$ 240 mil, pago mensalmente desde junho. O hospital, mantido por associação de moradores com o auxílio da prefeitura, é o único do município de 8 mil habitantes.

“O benefício será investido principalmente na infraestrutura da instituição e, consequentemente, na qualidade do serviço prestado à população. Até então, não sobrava verba para aplicar nessas áreas. O auxílio veio em ótima hora”, comemora a secretária municipal de Saúde de Verê, Cassiana Missel.

REPASSES –
A nova fase do projeto garante o repasse para até 173 estabelecimentos de saúde no Estado. Até o mês de maio, 65 instituições - 57 delas municipais e oito filantrópicas - estavam inscritas e recebendo o benefício do Governo do Paraná. As adesões já estão gerando um repasse mensal de R$ 1,3 milhão.

De acordo com o superintendente de Gestão de Sistemas de Saúde, Paulo Almeida, após a publicação da nova resolução, as solicitações para adesão ao programa estão aumentando a cada mês. “Se todos os hospitais elegíveis passarem a receber o recurso, isso vai causar um impacto anual de R$ 48 milhões voltado ao apoio e qualificação de hospitais no Paraná”, comenta.

Para receber recursos do HospSUS, os hospitais devem atender algumas metas, como ter um médico e enfermeiro durante todo o horário de funcionamento, garantir 12 horas de atendimento para unidades com até 15 leitos e 24 horas a partir de 16 leitos. O programa também deverá garantir a integração desses estabelecimentos a hospitais maiores da região onde estão localizados.

O Hospital Municipal de Guaratuba, no Litoral do Estado, recebe o repasse anual de R$ 360 mil do HospSUS desde o início de 2014. “Antes não sobravam muitos recursos para aplicar em capacitações da equipe ou investimentos em infraestrutura. O aporte financeiro veio para aprimorar a qualidade do atendimento que oferecemos aqui”, conta a diretora administrativa, Patrícia Chaves.

CUIDADOS CONTINUADOS – Outra proposta do Governo do Estado para manter o funcionamento de hospitais de pequeno porte, é transformá-los em locais para estabilização de pacientes que necessitam reabilitação. A unidade hospitalar deve acolher pessoas com doenças crônicas, dependência funcional ou que se recuperam de procedimentos cirúrgicos.

O projeto Cuidados Continuados Integrados (CCI) diminui o tempo de permanência de pacientes com casos de menor gravidade em leitos de hospitais de maior complexidade. Além de desafogar as urgências e emergências, a ação também apresenta uma nova vocação para hospitais que têm perfil de atendimento de baixa resolutividade.

“Esses hospitais ficam com a capacidade ociosa e muitas vezes enfrentam dificuldades por conta dos altos custos de manutenção. Essa mudança de vocação garante a continuidade do funcionamento”, explica o superintendente.

O Hospital da Caridade Dona Darcy Vargas, no município de Rebouças, foi o primeiro no País a dar início ao projeto de CCI. O local conta hoje com 52 leitos que atendem pelo SUS, o que possibilitará o recebimento de R$ 60 mil reais por mês do Governo do Estado por meio do HospSUS. O estabelecimento solicitou nesta semana a adesão ao programa.

Segundo o diretor administrativo, Márcio José Gobor, a prefeitura informou que terá que reduzir do valor repassado ao hospital. “Com essa redução, o recurso do Estado vem para manter nossas portas abertas. Ele servirá exclusivamente para custeio dos serviços prestados, não só de cuidados continuados, mas também de urgência e emergência”, afirma.

FASES –
Lançado em 2011, o HospSUS em sua primeira fase beneficiou hospitais públicos e filantrópicos de alta complexidade que são referências regionais para as redes Mãe Paranaense e Paraná Urgência. No segundo momento, o foco foram hospitais e maternidades de baixa e média complexidade, com um incremento no repasse de recursos para qualificação dos partos.

Já na terceira fase, o objetivo foi fortalecer hospitais municipais de pequeno porte, cujos serviços também são essenciais para o atendimento da população de municípios menores. Na segunda etapa dessa fase, o governo ampliou os estabelecimentos elegíveis, incluindo instituições filantrópicas de pequeno porte.
Fonte: saude.pr.gov.br

0 comentários:

Postar um comentário